yourdisqusshortnamehere
c
Loading...

Denúncia contra Lula tem 18 vídeos com depoimentos de testemunhas que dizem que ele é o chefe

PUBLICIDADE Continue lendo

Os investigadores da Lava Jato anexaram à denúncia contra o ex-presidente Lula alguns vídeos para comprovar que o ex-presidente é mesmo o chefe da organização criminosa que assaltou a Petrobras ao Longo dos últimos treze anos.

os procuradores do Ministério Público Federal anexaram ao processo nada menos que 18 vídeos contendo depoimentos dos delatores Pedro Corrêa, Nestor Cerveró, Delcídio Amaral e Fernando Baiano, todos eles revelando detalhes de como o PT criou um esquema corrupto para ter uma base de apoio parlamentar, e também indicando que Lula conhecia a fundo todas a engrenagens do esquema.

Acompanhe abaixo alguns dos vídeos que foram integrados à denúncia formulada pelo MPF contra o ex-presidente Lula:

Em seu depoimento, o ex-senador do PT, Delcídio do Amaral, afirma que depois do mensalão e do desgaste que isso trouxe ao seu governo, Lula se articulou para formar uma nova base no Congresso. A partilha das diretorias da Petrobras entre partidos como o PMDB e o PP, antes exclusiva do PT, foi a forma encontrada para ampliar a base de sustentação do governo.

O Delator e ex-deputado pelo PP, Pedro Corrêa, participou de várias reuniões com o ex-presidente Lula e seu ex-ministro José Dirceu para combinar o assalto na Petrobras. Corrêa confirma o encontro em que Lula definiu que Paulo Roberto Costa seria nomeado para uma diretoria na estatal para desviar dinheiro para o PP em troca de apoio no congresso.


Segundo os dois delatores, Lula não apenas sabia de todo o esquema de desvios na Petrobras, como participou ativamente de todos os detalhes. Tanto Delcídio quanto Corrêa são enfáticos ao afirmar que Lula estava ciente de todo o sistema de “arrecadação” de dinheiro para os partidos por meio do desvio de dinheiro da Petrobras.
O ex-senador Delcídio do Amaral também confirma que Lula sabia exatamente como cada partido agia dentro da Petrobras e gerenciava conflitos relativos a distribuição de propinas:  “E se um diretor não desempenhasse, a reclamação era direta lá no Palácio”, afirma o ex-senador petista

Os delatores Nestor Cerveró e Fernando Baiano também confirmam detalhes importantes narrados por outros delatores da Lava Jato. sobre o direcionamento de um contrato da Petrobras para o Grupo Schahin, como modo de sanar uma divída de R$ 50 milhões que o PT havia adquirido com o banco do grupo.


Sergio Moro 214467075219168169

Postar um comentário

emo-but-icon

Página inicial item